Nos pênaltis, Tricolor avança na estreia de Rogério Ceni

0
VANESSA CARVALHO/BRAZIL PHOTO PRESS/LATI

Foi com emoção, vaga e protagonismo de um goleiro que Rogério Ceni estreou no comando do Tricolor. Na noite desta quinta-feira (19), com ampla superioridade na primeira etapa, o São Paulo eliminou os River Plate-ARG nos pênaltis (8 x 7) após empate sem gols no tempo normal e avançou para a decisão da Florida Cup de 2017. Sidão, que defendeu duas cobranças nas penalidades máximas, foi um dos destaques do time são-paulino no Al Lang Stadium.

Classificado, o Tricolor enfrentará o Corinthians na grande decisão da competição norte-americana. O Majestoso, primeiro clássico da temporada e de Ceni à beira do gramado, será disputado no próximo final de semana, em Orlando. A envolvente atuação do São Paulo nos primeiros 45 minutos de jogo desta quinta e a postura aguerrida do time na etapa complementar mostraram que a pré-temporada no complexo esportivo IMG fortaleceu o Tricolor na briga por troféus este ano.

Curiosamente, quis o destino que as cobranças de pênaltis chamassem a atenção na estreia do novo treinador, que como atleta balançou as redes 69 vezes. O peruano Cueva, logo no início da partida, teve a oportunidade de colocar o São Paulo em vantagem no placar em São Petersburgo, de pênalti, mas parou no arqueiro Bologna. Mais tarde, na decisão pela vaga, Sidão fez duas grandes defesas e garantiu a classificação dos brasileiros. Que venha o clássico, que seja o começo de uma nova era, o Tricolor começou 2017 com o pé direito!

Para o primeiro jogo da temporada, o treinador escalou o time com Denis; Maicon, Rodrigo Caio e Breno; Bruno, Thiago Mendes, Cueva e Buffarini; Wellington Nem, Chavez e Luiz Araújo. Já os argentinos atuaram com Bologna; Montiel, Mina e Medina; Domingo, Denis Rodríguez, Mayada, Iván Rossi e Tomás Andrade; Rodrigo Mora e Iván Alonso. Quando a bola rolou, a primeira etapa foi marcada pela ampla superioridade dos brasileiros, que criaram inúmeras oportunidades.

Logo aos dois minutos, Wellington Nem invadiu a área pelo lado direito, fintou o defensor e foi derrubado por Medina: pênalti! O peruano Cueva cobrou, mas Bologna espalmou e impediu que as redes balançassem no início do confronto. Apesar de não conseguir converter a penalidade máxima, o São Paulo não acusou o golpe e seguiu mais presente no campo de ataque. Aos 11 minutos, Maicon desarmou na defesa e deu ótimo lançamento pelo lado esquerdo para Chavez, que invadiu a invade a área e finalizou: a bola passou com perigo.

Firme na marcação, desde o campo de ataque na saída de jogo do adversário, e com Wellington Nem inspirado – o camisa 21 aparecia bem na frente tentar as jogadas -, o Tricolor não deixava o River Plate gostar da partida. E foi assim que a equipe de Rogério Ceni acuou o rival. Aos 15, após boa troca de passes, Wellington Nem serviu Luiz Araújo, que bateu de perna esquerda e por pouco não inaugurou o marcador.

Após o grande e contundente início de jogo do time são-paulino, os argentinos rondaram a meta do goleiro Denis e assustaram.  No entanto, seguro, o São Paulo conteve as descidas do adversário e tratou de retomar o controle do embate. Aos 22, Bruno cruzou, e Chavez cabeceou com muito perigo, mas o goleiro Bologna evita o gol! Pouco depois, aos 30, Cueva bateu firme e também ficou no quase.

Ainda antes do intervalo, agudo, o Tricolor exigiu boas intervenções do arqueiro rival – destaque do River na primeira etapa. Aos 42 minutos, Thiago Mendes acionou Wellington Nem pela direita: o atacante cruzou para o meio da área, mas Chavez não conseguiu alcançar. Na sequência, aos 44, uma verdadeira blitz dos brasileiros: Chavez recebeu de Cueva e bateu com força, mas Bologna defendeu. No rebote, o camisa 9 parou de novo no goleiro. A bola, então, sobrou para Buffarini, que carimbou a trave! Incrível!  Assim, apesar de insistir, o São Paulo não conseguiu alterar o placar antes do intervalo.

Na volta para a segunda etapa, com o intuito de dar ritmo aos jogadores e poder observalos melhor, Rogério promoveu uma série de alterações: apenas Buffarini, que foi deslocado da lateral esquerda para a direita, permaneceu em campo. Desta forma, a equipe foi composta por Sidão; Buffarini, Lugano, Lucão e Junior Tavares; Wellington, João Schmidt e Cícero; Wesley, Gilberto e Neilton.

Mesmo com outra escalação, o Tricolor manteve a superioridade e criou chances na frente. Aos nove minutos, Buffarini cruzou da direita e Gilberto testou rente à trave. Após o bom começo de segundo tempo, o time são-paulino viu os argentinos equilibrarem as ações do jogo e pouco a pouco segurarem o ímpeto dos brasileiros. Foguete na vaga de Buffarini e Shaylon no lugar de Neilton entraram para dar fôlego extra ao time, que reagiu.

Aos 35, Shaylon apareceu bem pela esquerda e finalizou com força: o goleiro Bologna defendeu! As respostas do adversário vinham nos contragolpes, e assim o confronto se manteve parelho nos instantes finais. Apesar de insistirem, São Paulo e River Plate não evitaram que a decisão para definir um dos finalistas da Florida Cup fosse nos pênaltis.

Nas penalidades máximas, a estrela de Sidão brilhou, e o Tricolor avançou para a final da competição. O goleiro defendeu duas cobranças, e o São Paulo bateu o rival por 8 a 7! Os são-paulinos comemoraram bastante a classificação, e agora medirão forças contra o Corinthians pelo título da Florida Cup. O Majestoso será disputado no próximo final de semana e encerrará a passagem do clube pelos Estados Unidos! Que venha o clássico!

Érico Leonan – Site Oficial

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta