Operação da Polícia Civil prende quadrilha de traficantes com 100kg de cocaína

0
1952

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (DENAR), apresentou na tarde desta segunda feira (6), os resultados da “Operação Zona Norte”.  A ação resultou na prisão de 25 pessoas, 17 veículos, 510 gramas de maconha, 106 quilos de cocaína, 9 armas de fogo e R$ 51.672,00 (cinquenta e um mil, seiscentos e setenta e dois reais) em dinheiro.

De acordo com o delegado responsável pela operação – dr. João Paulo Sartori, a operação visou diminuir o tráfico de drogas na região do bairro Nova Lima. Segundo ele, vendendo no atacado, esta quantidade drogas renderia mais de R$ 1 milhão. “No varejo, que era a forma de comércio da quadrilha, estes valores poderiam resultar em ganhos três vezes superior”, revelou.

Paralelamente a prisão dos traficantes, a DENAR conseguiu identificar uma organização criminosa extremamente violento, que tinha o objetivo de dominar o tráfico na região. Eles operavam em sistema de compras, onde quinzenalmente adquiriam drogas na região de Corumbá e distribuída a médios traficantes da região.

Na primeira ocorrência de vulto da operação, os policiais prenderam um casal que tinha uma espécie de “conveniência” de tráfico. Foram apreendidos mais de 21 quilos de cocaína, uma arma de fogo além R$ 3.000 (três mil reais). Logo em seguida, foi identificado ainda a participação do “cabeça” da organização e outros três comparsas.

Fazem parte da quadrilha: ROGÉRIO CAMPOS DE MORAES, vulgo ‘Cego’ – líder do grupo; LUCIENE SANTANA, encarregada da compra da droga em Corumbá; DARGUI TABORDA SANTANA, encarregado do depósito de dinheiro e drogas; JULIANA ORTEGA CARVALO, MARCOS SOTELO DIAS e ANDERSON DELGADO DOS SANTOS MARTIM faziam o depósito de armas e drogas e era quem realizava entrega de drogas para traficantes associados; JOSÉ VICTOR DE SOUZA ANDRÉ e ELY ANDERSON BERNAL ANDRÉ, realizavam o frete; e DENIS ALVES E SILVA, traficante associado e financiador.

A DENAR possui um telefone para denúncias (67) 3345-0000.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta