Nota de Esclarecimento sobre o falecimento de Francieli Gonçalves Colman

2

O Hospital Regional vem a público esclarecer o fato ocorrido, dando sua versão ao caso da jovem Francieli Gonçalves Colman que faleceu no começo do ano com diagnostico de embolia pulmonar, segue a nota.

No dia 27 de dezembro de 2016, Francieli Gonçalves Colman deu entrada no Hospital Regional Dr. José de Simone Netto para a realização de cesárea. A cirurgia foi bem sucedida e a paciente recebeu alta sem queixas no dia 31 de dezembro, em perfeitas condições de saúde, tanto ela como o seu bebê.

Duas semanas depois, no dia 16 de janeiro de 2017, a paciente retornou ao Hospital, relatando dores no pescoço. Foi atendida, medicada e liberada no mesmo dia. No dia 22 de janeiro, a paciente foi novamente ao Hospital, indicando possível quadro de embolia pulmonar.

Diante da gravidade do quadro e da falta de Unidade de Terapia Intensiva no Hospital Regional, ela foi medicada e encaminhada no mesmo dia para o Hospital da Vida em Dourados, onde permaneceu internada por 8 dias e infelizmente faleceu no dia 30 de janeiro. Lamentamos o falecimento de Francieli e compreendemos a dor de seus familiares.

Mas esclarecemos que não houve erro médico ou negligência em nenhuma das três oportunidades em que ela esteve no hospital.

Dra. Patricia Caetano Diretora técnica

Assessoria Hospital Regional Dr José de Simone Netto

Saiba Mais 

Homem denuncia que esposa morreu depois de operação no Hospital Regional de Ponta Porã

3 total views, 2 views today

2 COMENTÁRIOS

  1. Pode ate ser que nao houve neglicencia ou erro medico. Mas falta de atencao e descaso acontece muito nesse hospital, nao conversam com a familia, nao deixam falar com medico, tratam as pessoal mal. Vc nao tem direito de saber sobre um familiar que esta internado, depois que entra la ninguem sabe de nada, sem contar a grosseria e falta de educacao dos atendentes. Dai pode ate ser q a moca foi bem atendida e que nos momentos em q esteve no hospital nao apresentava nada grave mas justamente por esse descaso em dar uma satisfacao que coloca em duvida, sem contar que o que mostra a situacao do organismo sao exames ne e eles nao fazem e quando fazem ja e tarde, deduzem apenas. Uma conhecida sofreu um acidente, quebrou a perna e ficou la 8 dias ate conseguir fazer cirurgia, nessas alturas a perna dela ja estava gangrenando, por pouco nao perde a perna, e se perdesse pro hospital tanto faz, normal.

  2. Sou de Curitiba,e aqui sabemos a negligência deste hospital,tenho conhecidos aí,e todos foram mau atendidos,uma estava com a apêndice inflamada quase estourando,deram uns remédios para dor e mandaram embora,quase morrendo,teve q procurar um hospital no Paraguai particular para operar,o mesmo aconteceu com seu pai,passou muito mau,em vez de fazerem os exames para diagnosticar o problema ,simplesmente os medicaram sem saber o q o mesmo vinha a ter e os mandou embora,sem condições tendo q procurar hospital particular no Paraguai…

Deixe uma resposta