Ponta Porã: Empresário vai investir em salas de cinema em 2019

Reprodução facebook

A redação do site Pontaporainforma esteve conversando com o advogado Luiz do Amaral sobre a grande novidade que vem agitando a fronteira, que seria a instalação de um cinema em Ponta Porã, fato confirmado pelo advogado, que contou que serão 4 salas e que já estão em fase de acabamento, sendo essa uma parceria com grupos forte que tem cinema em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Assunção-PY, sendo o Circuito de Cinemas muito forte no Brasil.

O grande empreendimento cultural será na Rua Marechal Floriano, ao lado do Hotel Internacional e, de acordo com Luiz do Amaral, já estão sendo instaladas as poltronas e a próxima etapa será concentrada em reformar a fachada e a previsão é de inauguração no mês de fevereiro de 2019.

As 4 salas terão aproximadamente 600 poltronas com lugares para deficientes, climatizado, on line, ou seja, o lançamento que tiver em SP, RJ, MG, terá lançamento em Ponta Porã no mesmo dia e horário.

“É algo moderno e é um sonho antigo que a gente tinha e que agora tornará realidade”, afirmou Amaral.

O advogado Luiz do Amaral é um empreendedor que tem hotéis, escritório de advocacia e agora realiza o sonho antigo de empreendimento na cultura com o apoio desse forte grupo. Luiz do Amaral contou à reportagem que questionou o grupo do porque de Ponta Porã ter sido escolhida o qual obteve a resposta que o ponto forte foi o fato de existir muitos universitários hoje na fronteira.

” Acredito que as coisas irão se inverter e as pessoas de Amambai e Dourados irão vir assistir os filmes aqui”, brincou o advogado.

A data da inauguração ainda não está definida, mas o mês será em fevereiro e já dá para sentir o cheirinho da pipoca, os comentários sobre os filmes em cartazes, a magia de adentar as salas de cinema, a emoção de quando as luzes se apagam e a telona se ilumina, pois ali viveremos algumas horas de purma magia, fantasia, risos, choro, emoção, raiva, alegria. As misturas de sentimentos numa tela de cinema.

A fronteira está em festa com tão agradável notícia e parabeniza os empreendedores. Agora, fica nas mãos da população prestigiar o grande investimento cultural.

Para entender o que o cinema representa na vida de muitas pessoas nos dias de hoje nós precisamos entender a sua origem e seus efeitos básicos na vida dos seres humanos. Não adianta nada passar horas falando sobre cinema e suas consequências sem você ter uma noção da sua origem.

O inicio de tudo

Ao contrário do que muitos pensam, o cinema já tem mais de cem anos de existência, no término do século XVIII. Os fundadores e descobridores desta grande arte moderna, ficariam orgulhosos e muito preocupados com o que o homem atual fez com as suas invenções.

A primeira vez que o homem conseguiu dar movimento a fotos foi em 1832, com a criação do fenacistocópio, primeiro aparelho a dar ilusão de movimento, criado por Joseph Plateau. O aparelho fazia com que desenhos parecessem estar se movimentando. Criando assim o que é conhecido como desenho animado.

Em 1887 Thomas Edson, começou a trabalhar em um aparelho que fizesse fotografias criarem movimento, seus inventos só tiveram sucesso dois anos depois, quando Hannibal Goodwin desenvolveu um filme a base de celuloide, mais resistente e mais flexível, que podia ser coberta por uma pequena película sensível a luz. George Eastman, pioneiro em equipamentos fotográficos, produziu o filme.

Com o filme de Eastman, Edson pode completar as suas pesquisas junto com o seu assistente e deram origem ao cinestocópio, que reproduzia o filme de até 15 metros, as pessoas olhavam por um orifício e viam as imagens. Em 1895 pela primeira vez um filme foi exibido ao público, o feito foi realizado pelos irmãos Lumière e foi realizado em um café parisiense.

Anos se passaram e em 1898 o filme passa a contar histórias e vira o grande sucesso que é conhecido nos dias de hoje. Em 1911 os estúdios crescem por todo o mundo. Um grupo de empresários, donos de alguns estúdios de cinema resolveram construir em um distrito dos EUA, chamado Hollywood, nascendo assim o maior complexo de filmes de todo o mundo.

O som no cinema aconteceu de uma forma meio sem querer durante a sonorização do filme “O cantor de Jazz”. O cinema, até este filme, era mudo ou tinha alguns fundos musicais ao vivo, mas no meio da gravação o cantor resolveu pegar o microfone e falar o que ele falava nos show desde ai começou o cinema com som. A nova ideia de ter som nos filmes não foi muito aceita a princípio, devido ao cinema estar no auge. Muitos grandes artistas nunca chegaram a gravar um filme com som, um dos grandes nomes do cinema mudo foi Charles Chaplin, mas ele teve uma pequena participação com fala em seu último filme: o grande imperador, falando sobre a segunda guerra mundial, onde ele representava Adolf Hitler. O filme teve grande importância para a época já que o mundo todo estava em guerra, e suas palavras eram de paz. Vários artistas do cinema mudo deixaram de trabalhar a partir do momento que se começou a colocar som nos filmes, devido suas vozes não serem bem aproveitáveis para o cinema.

Em 1970 o cinema teve uma queda muito grande devido à televisão passar filmes e uma programação completamente diferente e diária. O cinema só teve a sua grande volta por cima na década de oitenta com um filme de Steven Spielberg, que dirigiu e produziu um dos filmes de maior bilheteria da história do cinema: ET. Desde então o cinema alcançou alvos nunca visto antes e tem crescido todos os dias a cada lançamento de um bom filme.

O cinema e a mensagem subliminar

É de conhecimento de poucos o poder que o cinema tem na vida das pessoas, um fato ocorrido em 1956 de mensagem subliminar no cinema; o caso foi para testar o poder que o cinema tinha na vida das pessoas. A mensagem continha os seguintes disseres: EAT POPCORN and DRINK COKE (coma pipoca e beba Coca-Cola). Só em um cinema de New Jersey a venda aumentou em 57,7% de Coca-Cola e em 18,10% de pipoca. O sistema funcionava de uma forma simples na sala de cinema era projetado um outro projetor sobre a tela na velocidade de 1/3000 de segundo, ou seja, imperceptível a olho nu.

É para ficar surpreso com os números da experiência feita por Jim Vicary em 1956, com um outro projetor na direção da tela de cinema em uma velocidade imperceptível ao olho humano, mas perceptível ao cérebro. Um outro método que pode ser usado nos dias de hoje é colocar uma mensagem em um frame do filme sendo assim perceptível ao cérebro, mas não ao olho, por ser passada tão rapidamente.

Esclarecimento para os leigos no assunto de cinema e de película.

Com a descoberta do filme de Eastman e o aparelho criado por Thomas Edson, chegou-se ao numero de 24 frames (fotografias), para se dar a impressão de um segundo de duração no filme. Sendo assim, a cada 1 segundo de filme você assistiu a 24 fotografias paradas que dão a impressão de movimento. O uso de uma mensagem subliminar em um frame de segundo pode ser imperceptível a alguns espectadores do cinema, mas as pessoas que trabalham e passam a maior parte de suas vidas assistindo e tendo contato com o mundo do cinema e da televisão percebem e às vezes chegam a ler e interpretar cada frame (fotografia). O padrão de frames (fotografias) já foi estipulado desde o início da película, hoje nós usamos no mínimo três formatos padrões de fps (frames por segundos). Para televisão é usado 29,97 fps, para web são usados 12fps e finalmente no cinema 24fps. As câmeras de filmagens foram baseadas nas câmeras fotográficas, mas com o recurso de captura de imagens em alta velocidade sendo imperceptível ao olho nu.

Fonte: Adorador Eterno

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here