Ponta Porã: Mulher foge de cativeiro e denuncia esquema de tráfico de drogas

Suspeito de manter a esposa, de 25 anos, e os filhos da jovem em cárcere privado numa residência usada como ponto de venda de drogas, Henrique Vasquez, de 21 anos, foi preso nesta quarta-feira, dia 21 de fevereiro, na região da Favelinha em Ponta Porã, cidade localizada na região de fronteira com o Paraguai.
 
Segundo site Campo Grande News, além de Henrique outros quatro homens, entre eles um adolescente, de 17 anos, apontados como comparsas do rapaz, também foram encaminhados para a delegacia. Um dos suspeitos, Carlos Augusto Gomes, de 18 anos, foi baleado de raspão durante a abordagem, que também resultou na apreensão de porções de maconha. João Lucas dos Santos e Bruno Ferreira dos Santos, ambos de 18 anos, são os outros presos.

Conforme o boletim de ocorrência sobre o caso, nesta quarta-feira (20) a vítima conseguiu convencer o agressor a ir levar os filhos na escola, depois de ficarem semanas trancados em casa.Segundo a jovem quando Henrique os deixava sozinhos ele sempre dizia que iria matar os três, caso conseguissem escapar. A residência fica na Rua Alameda dos Trilhos e os dois filhos da vítima, são adolescentes e fruto do primeiro relacionamento da mulher.

A casa onde a família era mantida presa, também era ponto de venda das drogas que o suspeito deixava enterradas no quintal. Um outro imóvel na Rua Alameda dos Troles, também era usado pelos traficantes como “boca de fumo”.

O quinteto fornecia drogas não só para traficantes locais, como também para “mulas” que buscavam a maconha nos dois endereços e de lá seguiam para outras cidades. Com base no depoimento da vítima, nesta tarde os policiais se dividiram em duas equipes e se deslocaram até os endereços.

No primeiro imóvel estava o adolescente de 17 anos e com ele foram encontradas várias porções de maconha, dentro de um guarda-roupas. Segundo o garoto Henrique o pagava para manter o entorpecente no local.

No outro imóvel onde a família era mantida em cárcere, estavam Carlos Augusto e Henrique, mas também João Lucas e Bruno. Durante a abordagem, Carlos Augusto foi baleado ao apontar uma arma falso para a delegada responsável pelo caso, mas passa bem.

Já Henrique, também conhecido como “bigode” foi encontrado escondido no banheiro. Além das porções de drogas os policiais apreenderam petrechos que seriam usados para o fracionamento e posterior venda da maconha.Todos foram encaminhados para a DAM (Delegacia de Atendimento a Mulher).

Cárcere

Em depoimento a jovem explicou que nunca tentou fugir do local por medo do agressor ferir seus filhos. No local, ela era mantida “apenas para o sexo” conforme o relato da jovem. Os dois estavam juntos a pouco mais de um ano, mas, quando ainda tinham apenas um mês de relacionamento ela chegou a ser baleada no pé pelo rapaz, por ciúmes.

À época ela o perdoou e os dois reataram o namoro, mas as agressões e ameaças se tornaram cada vez mais frequentes. Hoje, enquanto fumava maconha com os outros quatro comparsas Henrique, ainda teria dito que iria matá-la.

Douradosnews

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here