Mulher conhece homem pelo Facebook e é espancada dentro de motel no 1º encontro

Uma mulher de 42 anos foi espancada dentro de um motel, na Vila Aimoré em Campo Grande, depois de conhecer um homem pelo Facebook, nesta terça-feira (11), em Campo Grande. Ela procurou a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) para registrar um boletim de ocorrência.

Na delegacia, ela contou que conheceu o homem há 9 meses pelo Facebook e começaram a trocar mensagens sendo que nesta terça (11) decidiu sair com ele para conversar, mas o homem acabou entrando em um motel. No quarto, o autor teria dito para a mulher ligar para o marido dela avisando que iria ficar com ele.

A vítima disse que não iria ligar, momento em que o homem passou a fazer ameaças, “vou te matar, matar seu marido e sua filha”. Em seguida, ele passou a dar tapas no rosto dela e a enforcar com a alça da bolsa. Ela disse não saber o nome completo do agressor, apenas que é pintor e tem 44 anos.

Como pedir ajuda em casos de violência doméstica

Em Campo Grande, a Casa da Mulher Brasileira está localizada na Rua Brasília, s/n, no Jardim Imá, 24 horas por dia, inclusive aos finais de semana, para que as mulheres vítimas de violência não fiquem sozinhas, mesmo em tempos de pandemia.

Funcionam na Casa da Mulher Brasileira uma Delegacia Especializada; a Defensoria Pública; o Ministério Público; a Vara Judicial de Medidas Protetivas; atendimento social e psicológico; alojamento; espaço de cuidado das crianças – brinquedoteca; Patrulha Maria da Penha e Guarda Municipal. É possível ligar para 153.

Existem ainda dois números para contato: 180, que garante o anonimato de quem liga, e o 190. Importante lembrar que a Central de Atendimento à Mulher – 180 -, é um canal de atendimento telefônico, com foco no acolhimento, na orientação e no encaminhamento para os diversos serviços da rede de enfrentamento à violência contra as mulheres em todo o Brasil, mas não serve para emergências.

As ligações para o número 180 podem ser feitas por telefone móvel ou fixo, particular ou público. O serviço funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana, inclusive durante os finais de semana e feriados, já que a violência contra a mulher no Brasil é um problema sério no país.

🔥1.9 K

Deixe sua opinião