Riedel vai a Corumbá para vistoriar e avaliar município após tempestade

0
27
(Saul Schramm/Secom-MS)
Banner 300x250

Na tarde desta sexta-feira (15), o governador Eduardo Riedel (PSDB) vai a Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande, para vistoriar e avaliar a situação do município. A cidade foi atingida por uma forte tempestade nesta semana.

O governador deve chegar ao município por volta das 13h30. De manhã, Riedel participa do 1º Encontro de Negócios da Fronteira Brasil/Paraguai, no Majestic Hall Eventos em Ponta Porã.

Tempestade em Corumbá

Corumbá registrou um fenômeno climático durante o temporal na tarde de terça-feira (12), que matou uma criança e causou estragos por toda a cidade. Confundida com uma tromba d’água, uma nuvem funil chamou a atenção em meio a fortes rajadas de vento.

O meteorologista do Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima), Vinicius Sperling, explica que o setor ainda avalia com cautela vídeos que mostram a força do vento na região.

A estação do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) marcou rajadas de 90,36 km/h, enquanto a estação do aeroporto, na Força Aérea, pontuou 107,4 km/h.

“Não é uma tromba d’água porque a tromba d’água é, digamos, uma nuvem funil que vem e toca a água, quando toca o solo é um tornado. Nesse caso, é uma nuvem funil, o vórtex saiu um pouco da nuvem, como ela não era uma nuvem propícia a gerar um tornado, ela saiu esse funil, que [é] uma característica de uma nuvem intensa, que causou aquele vendaval, mas não tinha ingredientes suficientes para se tornar um tornado”, diz.

Ainda conforme o especialista, o fenômeno não se trata de um tornado e, se fosse, teria causado danos ainda maiores na cidade.

“Em Dourados haviam divulgado que tinha sido um tornado, fizemos uma nota com a Defesa Civil. É muito fácil de ver pelos estragos, tudo fica retorcido para os lados quando dá vendaval. [Como em] Corumbá e Dourados, tudo fica caído para um lado, isso indica que não foi um tornado. Os dados também não mostram isso, a estação registrou em torno de 90 km/h, isso é vento fraco para um tornado”.

Queda de raios

O ClimaTempo aponta que foram registradas 20.741 descargas atmosféricas até as 20h, já as estações do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) e análise do Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima), rajadas de vento alcançaram 90,36 km/h.

“Destaque não foi a chuva e sim fortes ventos, chuva foi 13,2 milímetros [de acordo com a] fonte do Inmet e 19 mm [conforme a] Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais). Foi uma intensa tempestade isolada, elas causam chuva intensa e rápida, geralmente com baixos acumulados, muito raio, rajadas de vento e até granizo”, explica.

Fonte: Midimax

Relacionado

Deixe sua opinião