Gegê toma primeira dose da vacina contra o novo coronavírus

Tomou a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus neste mês de Abril terça-feira (20). “Primeira dose. Estou me sentindo meio cansado. E também entristecido por saber que a fila ainda é tão longa e tão lenta. E inconformado, porque não era para ter sido assim. Sou grato a esses profissionais todos envolvidos na campanha de vacinação. Foi nos ombros deles que puseram a tarefa de correr contra o tempo pela proteção de centenas de vidas. Os antônio-joanenses devem muito a cada um desses heróis. E ao SUS, que sobrevive, como um gigante, a tantas incompetências e irresponsabilidades criminosas”, comentou o jornalista.

Marilucy Ferreira mulher de Geraldo, comemorou a vacinação do jornalista diz: “O coração sorri de alegria de ver quem amamos sendo protegido desse vírus que ainda não nos deu descanso. Mas a alma ainda se angustia por saber que muitos não passaram por esse momento e pior, muitos mais não acreditam na vacina. Gente, ela está aqui para nos ajudar! Ela é a parte principal da nossa luta! Quando chegar sua hora, vacine-se e continue tomando os cuidados necessários! A guerra ainda não chegou ao fim!”, finalizou ela.

Geraldo contou que tomou a AstraZeneca e que experimentou algum dor no braço e muita dor de cabeça após a primeira dose da vacina. “Estou aqui para contar que efeito colateral varia muito de pessoa para a pessoa e eu até agora não tive nada. Mas direi se rolar”, avisou ele. “O que queria era dividir a sensação de ser um dos antoniojoanenses que já tiveram o direito de se vacinar. Muita gente veio me cumprimentar como se fosse uma conquista minha. A conquista minha é estar vivo aos 52 anos para receber a vacina. Mas tem 7 mil de antoniojoanenses que ainda não receberam a vacina e é por elas que estou aqui. Esperam”, afirmou Gege.
“Cuide-se proteja-se, não vá para aglomerações. Não duvide do poder devastador desse vírus e de suas variantes”, avisou o jornalista, lembrando que os médicos continuam recomendando os protocolos de segurança contra a Covid-19. Ele também contou se sentir mal por ser um dos poucos vacinados no país e se disse grato ao SUS.
“É legal ser vacinado mas não é legal ser um dos poucos vacinados. Eu me controlo e me protejo desde o começo da pandemia. Eu me exponho muito pouco. Eu não saio para passear. Eu tenho procurado levar a vida saindo de casa só se for o necessário. O fato de estar vacinado não significa que eu esteja protegido. E o fato de me proteger muito me dá um certo incômodo de ser vacinado. Agradeço ter tido acesso à vacina, mas como diria a minha esposa Marilucy Ferreira estou atento e alerta e recomendando que você se proteja também”, afirmou.

Últimas notícias

Deixe sua opinião

%d bloggers like this: