Funcionárias são presas após morte de pecuarista de Ponta Porã

Pecuarista de Ponta Porã, vem de família tradicional de Ponta Porã e pode ter sido morta por asfixia

Mãe e filha, funcionárias de Andreia Aquino Flores, 38 anos, pecuarista assassinada na tarde desta quinta-feira (28), em condomínio do Bairro Chácara Cachoeira, estão presas por envolvimento no crime. Elas ocupam celas da Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos), em Campo Grande. Inicialmente o caso é apurado como latrocínio. –

De acordo com informações levantadas pela reportagem do Campo Grande News são de que as equipes da delegacia especializada, comandada pelo delegado Francis Flávio Tadano Araújo, estão em diligências para localizar os demais envolvidos no crime.

Jessica Neves Antunes e a mãe, Lucimara Rosa Neves, seguem presas.

Dívida – A reportagem fez busca e, em nome de Lucimara, encontrou ação de cobrança de dívida que começou em R$ 1,373 mil. Hoje, segundo dados do TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) está em R$ 7,327 mil, com pedido de penhora on-line.

A ação foi protocolada em novembro de 2019 por empresa de roupas e acessórios e refere-se a cobrança de notas promissórias no valor de R$ 1.590,80 da compra e venda de produtos. Na ocasião, houve pagamento de duas notas, totalizando R$ 1 mil.

A dívida, considerado juros listados na ação, seria de R$ 1.373,92. No dia 28 de janeiro de 2020, Lucimara foi julgada na 1º Vara do Juizado Especial Central e condenada à revelia a pagar R$ 1.067,91.

Brasiguaionews

Deixe sua opinião

%d bloggers like this: