Criminosos de MS aparecem na lista dos criminosos mais procurados do Brasil

A lista dos 10 criminosos mais procurados do Brasil foi atualizada pelo governo após prisão de assaltante de bancos

Mato Grosso do Sul tem dois criminosos na lista com os nomes dos 10 criminosos mais procurados do Brasil pelo Ministério da Justiça e Segurança Públicados. Leomar de Oliveira Barbosa, conhecido como Leozinho da Vila Ipiranga ou “Playboy” e Juanil Miranda Lima estão foragidos.

Leozinho que é de Ponta Porã e é braço direito de Fernandinho Beira-Mar e chegou a ser preso em 2011 e cumpriu pena no Presídio Estadual de Formosa, no estado de Goiás, porém foi solto de forma indevida em 2018 após decisão da Suprema Corte Brasileira. Contra ele, existem outras duas condenações na 1ª Vara de Execução Penal do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás.

Segundo o relatório do Ministério da Justiça, “Playboy” foi acusado de atuar na fronteira com a maior facção do Rio de Janeiro, o Comando Vermelho (CV), além de possuir conexão com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e ser um dos operadores da Conexão Atibaia, sendo um dos responsáveis pela logística de operações que envolviam o envio de cocaína do Paraguai para um aeroclube de São Paulo.

Nos anos 2000 caso foi investigado em São Paulo por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) estadual do Narcotráfico.

Procurado desde 2020, Juanil Miranda Lima é sul-mato-grossense que aparece na lista. De Campo Grande, Juanil é ex-guarda civil municipal e integrante de uma milícia que é ligada ao jogo do bicho. Ele foi condenado por crimes contra a vida (pistolagem), pela execução do delegado Paulo Magalhães Araújo.

Leozinho e Juanil estão na lista dos mais procurados do Brasil – Foto: Divulgação

Também é suspeito de ter tido envolvimento na morte do ex-chefe de segurança Orlando da Silva Fernandes, conhecido como “Bomba” em outubro de 2018, e do também ex-chefe de seguranã Jorge Rafaat Tuomani.

Ele é um dos foragitos da Operação Omertá, que investigou uma organização criminosa voltada à prática dos crimes de milícia armada, porte ilegal de arma de fogo de uso proibido, homicídio, corrupção ativa e passiva. Juanil também é procurado por países do Mercosul.

O criminoso recebeu auxílio emergencial pago pelo Governo Federal durante o auge da pandemia de Covid-19.

Atualização
A atualização da lista ocorreu após a prisão de Danilo dos Santos Albino, que era um dos homens mais procurados do Brasil. Ele era integrante da maior facção criminosa paulista, o Primeiro Comando da Capital (PCC) e assaltante de bancos na modalidade “novo cangaço”.

Haviam quatro mandados de prisão em aberto contra ele, pelo crime de assaltos a bancos em quadrilha de novo cangaço. O suspeito também era foragido do sistema penal de São Paulo.

A lista

Além dos sul-mato-grossenses, quase todos os criminosos que aparecem na lista têm atuação no Brasil e em países do Mercosul. A maioria foi condenada ou é suspeita de tráfico de drogas, organização criminosa e lavagem de dinheiro. São eles:

spinner-noticia
Os dez mais procurados pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública – Divulgação

Baixinho

Willian Alves Moscardini, conhecido como “Baixinho” é procurado no Brasil e também em países do Mercosul. Ele responde a oito processos por assalto, roubo, sequestro e agressões em São Paulo. Além de ter participado do assalto à transportadora de valores Prosseguir, em Ciudad Del Este, no Paraguai, em 2017, de onde foram roubados US$ 11 milhões.

Moscardini também é conhecido na região de Indaiatuda (SP) como “Calabresa”, local onde participou do assalto a um grande centro de distribuição de bebidas e ataque a agências da Motorola e Samsung.

Caipira

Álvaro Daniel Roberto, foi preso acusado de comandar um núcleo que enviava cocaína para a Europa com rotas que partiam do Paraguai, Bolívia e Peru. Também conhecido como Caipira, foi denunciado junto com mais 20 pessoas acusadas de tráfico internacional e associação para o financiamento ao tráfico. Álvaro controlava o tráfico a partir de São Paulo. Foi preso em 2013 em Fortaleza (CE) porém foi transferência para Juiz de Fora (MG) onde conseguiu prisão domiciliar.

Maria do Pó

Na lista, Sonia Aparecida Rossi, a Maria do Pó, está foragida desde 2006. Com 61 anos, ela também é a mais velha da lista de procurados. Sonia foi condenada a mais de 33 anos e 11 meses, Maria do Pó escapou da Penitenciária Feminina de Sant’Anna, no Carandiru, zona norte de São Paulo, em março de 2006.

João Cabeludo

João Aparecido Ferraz Neto, conhecido como “João Cabeludo”, de 64 anos tem envolvimento em roubos a carros fortes e tráfico de drogas, além de crimes contra o patrimônio e lavagem de dinheiro.

Segundo o relatório que lista os criminosos mais procurados divulgado pelo governo federal, ele foi expandindo a área em que age e atualmente atua na região sudeste do Brasil e também em países do Mercosul.

Tião

Lourival Máximo da Fonseca, o Tião, é procurado pela Justiça Federal pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e tráfico de armas. Ele usa identidades falsas de Sebastião Miranda Cardoso e Andress Gonçalves de Oliveira. Segundo o MJSP, ele é considerado um dos principais traficantes da Rota Caipira(Goiás, Minas Gerais e interior de São Paulo). Além disso, Tião opera no narcotráfico desde a década de 90, abastecendo essas regiões com cocaína e traficando armas.

Xixi

Sérgio Luiz de Freitas Filho, conhecido como “Xixi”, Atua no Sudeste e no Mercosul, com tráfico de drogas e, por consequência, organização criminosa e lavagem de dinheiro. É responsável pela logística do transporte de cocaína da Bolívia para o Brasil.

Tandera

O miliciano Danilo Dias Lima, conhecido como Danilo do Jesuítas ou Tandera, se tornou o miliciano mais procurado do Rio após a morte de Wellington da Silva Braga, o Ecko.

Tandera, que ganhou o apelido por ter uma tatuagem com o olho de Tandera, do desenho Thundercats, chefia a milícia no bairro do Jesuítas, em Santa Cruz, Manguariba e Palmares.

André do Rap

Foragido desde o dia 10 de outubro de 2020, quando saiu da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau (SP) pela porta da frente, André de Oliveira Macedo, mais conhecido como André do Rap, é o criminoso mais procurado da capital paulista e do Brasil. Ele foi condenado a 15 anos e seis meses por tráfico internacional de drogas.

André do Rap foi solto depois de um habeas corpus concedido pelo então ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello. A liberdade dele foi cassada pela própria Suprema Corte, horas depois, mas Rap já estava solto.

Correio do Estado

Deixe sua opinião

%d bloggers like this: