Polícia oferece recompensa milhonária por informações de líder do UPP

A Polícia de Itapúa oferece uma recompensa de G. 10 milhões por informações precisas que ajudem a localizar o líder do grupo que se autodenomina União do Povo Paraguaio (UPP).

Dionisio Patrón Bustamante, líder do grupo que se autodenomina União do Povo Paraguaio (UPP). O perigoso criminoso mantém moradores de Alto Verá e San Pedro del Paraná na ansiedade.

Segundo informações, Bustamante voltou a se envolver em outro evento violento ocorrido no último sábado, onde houve confronto entre a quadrilha criminosa e outro grupo criminoso, aparentemente por controle territorial.

No incidente, um homem morreu e outro ficou ferido. A Polícia não descarta que o ataque tenha sido realizado por um grupo de vigilantes, cansados ​​dos ataques cometidos pelo grupo Bustamante.

Tudo aconteceu em uma casa da empresa “Vy’a Raity” em Alto Verá, onde estavam Bustamante, seu sobrinho adolescente e os irmãos Insfrán; um deles baleado, outro ferido e outro desaparecido.

No entanto, em meio ao tiroteio, Bustamante e seu sobrinho conseguiram fugir do local. Os estranhos atacaram a casa onde estavam com balas e também tentaram incendiá-la.

Embora o fato tenha ocorrido no sábado, por volta das 21h00, a Polícia tomou conhecimento do fato 16 horas depois, quando Isidro Insfrán, um dos feridos, chegou a um centro de saúde.

A UPP é uma quadrilha que mantém os moradores de San Pedro del Paraná e Alto Verá em perigo e é atribuído a vários atos criminosos, como assaltos, roubos, roubo de gado, sequestro e até abuso de suas vítimas.

O grupo criminoso foi praticamente dissolvido pela Polícia em 2016, com a prisão de alguns de seus integrantes e a fuga de outros para a Argentina, incluindo Dionicio Bustamante.

Ele mesmo foi preso na cidade de Pilar, província de Buenos Aires, e posteriormente extraditado para o Paraguai, mas conseguiu sair da prisão anulando seis dos sete processos contra ele.

O promotor do caso ignorou procedimentos importantes, como os atos de investigação do réu principal.

Deixe sua opinião

%d bloggers like this: