Assassino de Lanzarini passou 17 dias escondido em mata se alimentando de “pão e mortadela”

O principal suspeito assassinar Dirceu Lanzarini, assessor da pasta de gestão política do Governo do Estado, se manteve escondido em uma região próxima do Rio Amambai do dia 24 de fevereiro até esta quinta-feira (12) quando se entregou à polícia. 

Em entrevista para o site A Gazeta News, Marcos Werneck, delegado titular de Polícia Civil de Amambai contou que o suspeito sobreviveu de maneira precária durante o período em que permaneceu foragido. 

“Conforme depoimento de ‘Luiz Paraguaio’, ele continuou escondido na mata localizada em área de preservação ambiental do Rio Amambai durante todo esse período se alimentando com pão e mortadela”, detalhou o delegado responsável pelo trabalho de investigação do caso das buscas por Luiz Fernandez nas últimas semanas.

Werneck disse ainda que uma possível fuga de Luiz de Mato Grosso do Sul para o Paraguai foi dificultada em decorrência da força tarefa montada pela Polícia Civil de Mato Grosso do Sul juntamente com a DOF (Departamento de Operações de Fronteira), uma equipe do GPA (Grupamento Aéreo da Polícia Militar) de Mato Grosso do Sul, além das forças de segurança pública do Paraguai. 

O delegado disse que ‘Paraguaio’ deu depoimento sobre as motivações do crime que teria cometido, porém as declarações permanecem em segredo de inquérito policial.  

Como já havia um mandado de prisão em aberto, o suspeito foi encaminhado ao Estabelecimento Penal de Amambai logo após oitiva na Delegacia de Polícia Civil. 

O CASO

O ex-prefeito de Amambai morreu depois de ser levado ao Hospital do Coração em Dourados. No dia do ataque Dirceu estava acompanhado do cunhado que também ficou ferido, mas conseguiu sobreviver. 

Douradosnews

Deixe sua opinião

%d bloggers like this: