Com avanço do crédito imobiliário, aquisição de imóveis torna-se um dos melhores investimentos no Brasil

Apesar da pandemia, e da alta dos preços da mão de obra e dos materiais de construção civil, o momento é propício para investimentos no setor imobiliário, que não para de crescer em todo o País.

Dados divulgados pelo Banco Central, na última semana de agosto, acerca de estatísticas monetárias e de crédito referentes ao mês de junho de 2022, apontam o avanço do financiamento imobiliário no País. Especialistas relatam que a expectativa é que seja alcançado um patamar próximo ao de 2021, que chegou a R$255 bilhões, recorde na história da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

O financiamento imobiliário cresceu em maio e junho deste ano, voltando ao patamar de R$16 bilhões em novas concessões no mês, valor que é cerca de 10% abaixo da média mensal do mesmo período em 2021, porém, ainda é um volume bastante expressivo.

Números recentes da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) também apontam para a alta na venda de imóveis no Brasil, com crescimento de 1,4% no primeiro semestre de 2022, em comparação ao mesmo período de 2021, o ano de super recordes para o mercado imobiliário brasileiro.

Outro fato registrado é o novo porte dos imóveis comercializados em todo o Brasil. Esse ano, a venda de casas e apartamentos menores, com apenas 1 dormitório que tem como foco o público mais jovem, que mora sozinho ou em casal sem filhos, aumentou em 30%. “Esse tipo de consumidor quer praticidade, usa muitos serviços fora como lavanderia e cozinha, por exemplo, e prioriza uma ótima localização”, explica o presidente da CBIC, José Carlos Martins.

Ainda como fator positivo, que reflete na venda desse tipo de imóvel é a alta dos preços das locações de imóveis residenciais acima da inflação, de acordo com o Índice da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas de Locação Residencial (FipeZAP), que acompanha o comportamento do preço médio do aluguel de imóveis residenciais em 25 cidades brasileiras.

Prova disso é o volume de lançamentos recentes desse produto devido à grande demanda por espaços compactos de alto padrão, com localização privilegiada e atrativos para os exigentes usuários de curta temporada, cuja rentabilidade vem surpreendendo. Phaena Spengler, diretora executiva da SBS Empreendimentos também analisa esse mercado como uma oportunidade única de investimento imobiliário. “Em Mato Grosso do Sul, a SBS projetou essa realidade e está com as obras avançadíssimas de seu empreendimento voltado para esse nicho de compactos de alto padrão, o Vista, em Campo Grande, que tem entrega prevista para já gerar renda em 2023, estando entre os pioneiros no segmento”, afirma.

REGIONAL

O mercado local acompanha a realidade nacional. Campo Grande teve a quinta maior valorização imobiliária entre as capitais do País neste ano, ainda de acordo com o FipeZap. O preço de venda dos imóveis valorizou-se 0,82% em julho, e no acumulado do ano a alta é de 6,94%.

No mês passado, o índice registrou variação positiva de 0,52% na média nacional, mas em Campo Grande essa elevação chegou a 0,82%. Os números apontam a Capital de Mato Grosso do Sul em quinto lugar do País em termos de valorização dos preços dos imóveis, ficando atrás apenas de Goiânia (+12,95%), Vitória (+12,03%), Curitiba (+9,20%) e João Pessoa (+7,94%).

O crescimento e o desenvolvimento de Campo Grande, aliado ao potencial de valorização dos imóveis e dos aluguéis residenciais acima da inflação, coloca na modalidade dos imóveis compactos de alto padrão no radar dos investidores. Ainda em volume pequeno, e com demanda potencial crescente na Capital, tornam o nicho, e sua consequente rentabilidade, muito atrativos.

Informações de assessoria de imprensa Contexto Mídia:  Tatiana Ratier | (67) 99207- 4494

Informações SBS Empreendimentos: Facebook/Instagram – @sbsempreendimentos

Site: www.sbsempreendimentos.com.br

Deixe sua opinião

%d bloggers like this: